20 de agosto de 2019

Pensamentos


Fonte: http://3.bp.blogspot.com/-nr5uICE8DOc/UHrp_
SiBCAI/AAAAAAAAAXo/wjUfnwcvcac/s1600/deitado+sozinho.jpg

Deitado, mente rumando aos mais obscuros pensamentos,
Ou talvez seja só a cabeça no travesseiro, talvez.
Chegou a hora de planejar sobre o que vou me arrepender amanhã.
Já lembrando os acontecimentos pretéritos de hoje, que planejei me arrepender ontem.
Talvez fosse mais feliz se fizesse o que realmente queria,
Ou seria mais infeliz por ter escolhido aquilo.
Traga-me o café, um trago de cigarro e um pôr do sol.
Disso não me arrependerei! Por enquanto.
Mero acidente da matéria, aproveitando a poeira que sou nessa imensidão,
Que seja isso então! O café, o cigarro, o vinho... Ah o vinho
Por que ébrio eu rumo ao pensamento
De pensar quão livremente preso estou à vida, controlando-a ... para não ter arrependimentos futuros...

Por Pedro Vilela

18 de março de 2019

Dois




https://www.diarioonline.com.br/app/painel/modulo-noticia/img/imagensdb/original/destaque-491161-lonely.jpg


Sentimento...

tristeza ao vento



sereno Tal avalanche



agora...

Pingos de Neve



me pergunto...



Como escrever...

sobre Eles



Como não ser Só

Como não ser Só...

eu



ser O outro



estilo por estilo

Este



um E um... Dois



Dois Não É não

Dois Não É avalanche



Dois Não É um



Dois É TRÊS



Dois Somos TODOS

        Nós.



Leon Nunes Goulart

6 da manhã

 
https://melhorcomsaude.com.br/wp-content/uploads/2018/03/A-solid%C3%A3o-procurada-%C3%A9-prazerosa.jpg


eram 6 da manhã

lembro, ainda...
quando gente Nossa partiu para o céu

ainda me lembro...
quando menina vingada,
escondeu-se nas nuvens

escondeu,
perpétua jura de morte

fez-se
carne, faca e um corte
aprendeu,
a Nunca Mais Esquecer...


Leon Nunes Goulart

7 de março de 2019

Mulheres, presente!

Mulher, sejas plena de graça e de força; sejas quem desejas ser! Que todas nós, mulheres,busquemos o direito de sermos respeitadas e amadas! Feliz Dia das Mulheres! 

23 de janeiro de 2019

A ilusão do tempo




Estás aqui e lá;
Lá e aqui.
Com olhos fechados,
viaje onde deseja e sem os grilhões do tempo.
Doce, ilusão!
A dimensão que precisa ser suprimida.
Doce, ilusão!
Tempo, não existe.
Do ponto A ao B
a vã matemática que não explica:
- Como atravessar o infinito?
-Tempo, senhor das almas?
Aniversariando sua existência com a morte...
Outra ilusão?
Embora pereça, átomos reinventam.
Recombinando outra existência?
Tempo que lhe dá a morte.
Morte que lhe dará o tempo.
A linha tênue entre o que aconteceu, acontecerá e acontece...

Antonio Archangelo
Visite o blog Poesias Nonsense

21 de dezembro de 2018

Poema

Lá fora Hoje as montanhas gritaram:
Cantaram cantigas de amor. 
Choraram as nuvens Por elas, 
E a flor desabrochou.
Hoje as montanhas gritaram
Aqui no meu quintal. 
Aqui, a beleza da natureza 
É simplesmente surreal.   




Mais poemas no livro já disponível no Agbook : https://www.agbook.com.br/book/270731--Minha_vida_e_meu_poema

Sinopse: Esta obra retrata a vida da autora através de poesias, com sensações, emoções e pensamentos. Uma viagem na mente de mais uma jovem brasileira que lutou para aprender a conviver na sociedade do século XXI, Traz emoções, arrependimentos,fé, família, paixões antigas, um verdadeiro amor e etc. Embarque nessa história, talvez se identifique também!

APARENTE DISTÂNCIA

Imagem relacionada
Fonte: https://www.google.com.br

Contemplando-te cautelosamente,
Adoro-te em segredo,
Para que só tu, se com sorte
Ouça o tinir que revelam os meus gestos
Enquanto o seu corpo está presente.
Sua alma é bela tal como é e deve ser
E adorá-la é estar envolto por braços de gelo
Que aquecem e criam um ardor familiar;
É sentir-se abandonado no seio das palavras
Enquanto elas deitam-me e conduzem-me ao sono.
É estar invólucro em um misto de doçura e hesitação,
Que movimentam-se tão violentamente nas minhas profundezas...
Ah! Que me são estes versos, afinal?
Amenas reticências,
Que deságuam um sentir um tanto alegre, um tanto triste –
Mas afirmo-te, ó bela: adorá-la é viver.

Tim Mushumba

10 de setembro de 2018

Burburinho Literário


Olha aí pessoal de Sampa!

Divulgando esse evento muito bacana. No dia 22.09 das 10h-19hs, acontece o  Burburinho Literário do  Goethe Institut São Paulo. R. Lisboa, 974 
Você que ama literatura, não pode perder!





14 de agosto de 2018

A NOVA DO DIA

              
Fonte:http://blog.maxieduca.com.br
       
Brasil
       quinto
        (não dos infernos)
                      do mundo
                                 no rol do feminicídio

Brasil
    homicídio
         feminicído
              infanticídio
                        genocídio
                                 inseticídio
                                          arvorecídio
                                                   bichocídio
                                                            peixecídio
                                                                      aquicídio
                                                                                terracídio

eucídio
    vocecídio
         agentecídio

neste Brasilicídio
sabe Deus
o que o diabo
ainda cidioaprontará...


Luiz Sampaio, por Luiz Sampaio
https://files.workr.com.br/ViewImage.aspx?image=cFwkVBRvjPXAxIn/AObcfA==

Sou as palavras que sou.
São de mim o que restará, além das memórias dos meus gestos a se dissiparem rápida ou lentamente em direção ao sempre.
Cresci entre leitores e livros. Aos nove anos ganhei um diário encadernado em azul, com a palavra “Pensamentos”. Ali copiei poemas e me dediquei a grafar os sentimentos que me afligiam. Nunca mais parei.
Estudei literatura, sonhando-me poeta.
A sobrevivência arremessou-me à deriva, a mares mais que distantes: ao espaço. Trabalhei uma vida implantando planetários e observatórios astronômicos públicos.  Hoje me dedico especialmente aos planetários e à criação de centros de ciências para a educação não formal.
Sou perseverante. Cruzei desertos e anos escrevendo apesar do silêncio.
Do francês, traduzi “Esperando Godot” de Samuel Beckett. Do russo, poemas de Púshkin e Liérmontov, além de “Os Banhos – Drama em Seis Atos com Circo e Fogos de Artifício”, de Maiakóvski.
Sigo vivo e ativo na sonora companhia das minhas palavras.
Minha canoa do amor não se espatifou no cotidiano.

Enviado por WR Estratégica