4 de novembro de 2017

Dissonâncias

Recebi o livro Dissonâncias, recentemente lançado, do autor David Rocha, a quem agradeço.  Ele é bibliotecário e passou a produzir também   seus próprios textos. 

Saiba mais do autor e como adquirir o livro 

http://blog.crb6.org.br/eventos/bibliotecario-capixaba-lanca-livro-em-vitoria/ 

Segue uma amostra de sua poesia. 

24 de outubro de 2017

Dilema




O poetinha disse bem. E hoje esse poema da Cecília é que está me lendo. Que dilema essa sensação de ganhar isso, mas perder aquilo, que dilema(ou não?) escolher o que ganhar e o que perder, quando se quer abraçar tudo, mas não se tem braços pra isso! O tempo não pára, o trem da história segue rápido e temos que escolher um lado da paisagem para apreciar.Mas a sensação de deixar algo para trás tão bom quanto ... ah! incomoda. Deve ser coisa de quem tem fome. Fome de quê? Não sei... "A gente não quer só comida. A gente quer comida, diversão e arte."


Ou isto ou aquilo

Ou se tem chuva e não se tem sol,
ou se tem sol e não se tem chuva!

Ou se calça a luva e não se põe o anel,
ou se põe o anel e não se calça a luva!

Quem sobe nos ares não fica no chão,
quem fica no chão não sobe nos ares.

É uma grande pena que não se possa
estar ao mesmo tempo nos dois lugares!

Ou guardo o dinheiro e não compro o doce,
ou compro o doce e gasto o dinheiro.

Ou isto ou aquilo: ou isto ou aquilo…
e vivo escolhendo o dia inteiro!

Não sei se brinco, não sei se estudo,
se saio correndo ou fico tranqüilo.

Mas não consegui entender ainda
qual é melhor: se é isto ou aquilo.

Cecília Meireles

10 de agosto de 2017

As luzes do Arrebol


Obra disponível aqui.

Abaixo um dos poemas do livro.



Destino Passagem



Junior Salvador

Meus Toques


Estas notas,
que dos toques meus
se harmonizam em teu corpo,
numa melodia que inebria
o meu ser dos carinhos teus,
que do ser em êxtase
a mim o corpo entrega,
como presente
das angústias que viveste
em tuas noites de solidão,
e faz eco como cítara
quando me toca o corpo ardente,
que em harmonia de muitas cores
no céu, com luz pintara.
E eu fluo espontaneamente
como chuva, que do rosto de Deus
se derrama com luxúria,
e é assim que eu gosto
de contigo estar:
sensível e terno
para o teu néctar roubar.

Alberto Lima

http://www.camarabrasileira.com.br/apol152-008.html

28 de julho de 2017

Caminhos


                                    Veja de forma animada aqui.

23 de julho de 2017

Nua


Entre beijos e abraços
Ando me enroscando no cabelo de Medusa
Nem mesmo Leonardo da Vinci
Conseguiria retratar
A beleza que ela possui
Quando está completamente nua
Seu corpo é uma obra não desenhada
Sua essência é uma criação divinamente pura
É uma dádiva poder amá-la
Quando o sol se retira e aparece o clarão da lua.


Gustavo Souza

14 de julho de 2017

Lugar



Sei que existe um lugar,
Não sei como encontrar
Não paro de procurar
Mas sei que vou achar

Nesse lugar
Quero plantar um pomar
Para todo dia regar
E poder viver devagar

Nesse lugar vou construir um bar
Para todo dia me embriagar
E com amigos me alegrar
Sem ter hora para acabar

Para esse lugar
Quero te levar
Para que possamos sonhar
Sem pressa de acordar

Talvez neste outro lugar
Descobriremos como nos completar ou a melhor forma de beijar
Mas saiba do mais importante, não importando o lugar
Jamais vou deixar de te amar

>Deko<
Leia mais poemas do autor na página do facebook  Nos Versos das Estrelas 

6 de julho de 2017

Janela da Alma



se os olhos são a janela da alma,
meu olhar se fez vazio.
a luz dos olhos meus
brilharam escuridão.
sou plural,
feito de solidão.

Robinson Badin
Visite o blog escriberespem e leia mais

Poetizando


Adoradores de poesia que por aqui passam, visitem o canal no you tube Poetizando. Veja mais vídeos com declamações  do nosso amigo  Gui Ortolan, que também já lançou um livro   Poesia Falante, Arte Pensante .

30 de junho de 2017

Um encontro com a poesia e o poeta

O que eu, Marli, penso da poesia?
Poesia tem a ver com sensibilidade, com sentimento.
Poesia não é só um gênero textual.
É uma forma de ver , sentir a vida. 
Poesia é uma forma de educar o olhar, 
não apenas para si, mas para o outro.
Poesia é olhar e enxergar.
É olhar e sentir.
Poesia é beleza.
A poesia é essência.
Talvez por isso tanta gente a ignore,
nesse mundo superficial.
Poesia está no olho que olha o olho
na flor que arrebenta o muro
no sol que tinge o céu de vermelho ao se pôr
no silêncio cheio de dizeres.
Poemas... esses são os filhos da poesia.


Para minha alegria, vejo meu desejo realizado, de ter o poeta na escola, mesmo eu não estando mais lá. Foi um encontro inesquecível com MARIO PIRATA, o Brincadeiro.

Mario Pirata, in Ventonaveia