19 de janeiro de 2017

DIVÃ

Fonte da imagem:https://tresnortes.wordpress.com/2010/12/10/no-diva/

Há um medo escondido
No papel que a Mulher carrega
Nas bordas do seu vestido.
Há um quase existir
Preso nas suas costuras malfeitas.
Há uma identidade inaudível
Ressoando lúcida
Pelas pregas amassadas da sua saia
Querendo virar poema.
Há a nula pretensão
Dilacerada pelo silêncio
Abrigado debaixo da sua nudez
Pura e retalhada,
Quase nada,
Árvore ainda
Antes de ser divã.

(Viviane Barroso)

6 de janeiro de 2017

MINHA CALMA É LEVE

Fonte imagem: https://www.dreamstime.com/royalty-free-stock-image-doubt-love-image28853736


Você acredita no amor?
Abafou o não no silêncio
Da sua dúvida.

Nem a mais bela das atuações
Do seu protagonista favorito
Interpreta o frio na sua barriga

Que dissipa

No encaixe de nossas buscas
Nas poucas palavras ditas
Ofegava.

Você acredita no amor?
Buscava respostas no precipício
Da sua vida.

Confundia as verdades com distrações
Mesmo depois de tudo que foi dito
Com o amor continuava em briga

Não dissipa

No contraste de nossas buscas
Fingidas almas altruístas

Silenciava.

J. Mário Cavalcante

Leia mais poemas do autor no blog O que José Diria?

O amor é público


o amor é público
exala dos poros
se vê nos olhos
no abraço
no meio da rua
explode fogos
artifício
quando se beija
é indício
da paixão
é início
de amor
grita aos
quatro ventos
por isso o pranto
aos quatro cantos
é acalanto
é incêndio
que não tento
cessar
fugir do amor
dá azar

Por Vitor Miranda

Você pode conhecer outros poemas do autor,  na obra  "Poemas de amor deixados na portaria"




 - Livro físico diretamente  através do e-mail: vitor_coto@hotmail.com

-E-book pela Amazon


31 de dezembro de 2016

MUDANÇAS

Resultado de imagem para mudanças
Fonte:http://www.administradores.com.br/entrevistas/negocios/mudanca-entenda-por-que-saber-administra-la-faz-toda-a-diferenca/91/



Há quem diga que toda mudança
É promovida por uma revolução.
E, assim, muda-se.
Mudei!
Motivada pelos golpes da vida
Hoje sou o resultado do que
Os (d)anos me causaram


                         Drica Martínez


25 de dezembro de 2016

POLÍTICOS



Procuram pactuar proveitos próprios,
Picam em pedacinhos seus propósitos
Pegam um presidente ou um prefeito,
O pobre povo quem  pagar o pato

Pouco propensos à preocupações,
Passivos, passionais, parca produção,
Prosperidade pouco lhes preocupa,
Pensam o pessoal, não o plural.

Prende-se a puta, o presidiário,
Político é preso no placebo
Para que se pareça uma prisão,
Propensa a um parque de diversão.

Padarias produzem poucos pães.
Pedreiras pedem e produzem pedras.
Política?... "pequenos" Políticos,
Parlamento?... - próceres pivetes.


D.Scris

19 de dezembro de 2016

NEM

É hora de acabar com Net Energia Metering no Havaí
Fonte:https://www.greentechmedia.com/articles/read/Its-Time-to-End-Net-Energy-Metering-in-Hawaii 

Nem tudo que é duro é couro
Nem todo bandido é touro
Nem tudo que é caro, presta
Nem toda intersecção, aresta
Nem todo arco, flecha
Nem tudo o que abre, fecha
Nem tudo que cura, arde
Nem tudo o que demora é tarde
Nem todo sinal, alarde
Nem todo instrumento, musical
Nem toda conclusão, final
Nem todo cristo, redentor
Nem tudo que incomoda é dor
Nem toda paixão, amor.

                        Ariel Alcântara


18 de dezembro de 2016

Poema Um

Fonte da imagem: http://vivianefreitas.com/blog/amor-no16-como-deve-ser-o-amor/


Qual objetivo que possuo?
Com certeza é sair do monturo.
Porém, é o que realmente desejo?
Não! o que quero é o que sinto quando a vejo.

Então a pobreza do coração é pior que a do bolso.
Desta forma, ser rico e não achar o amor é ser incompleto.
Sou pobre, mas meu coração bate quando te ouço.
Então sou rico, pois mesmo sem dinheiro seu amor me torna repleto.

Como o violino possui quatro cordas afinadas no mesmo diapasão
Da mesma forma que há sete notas musicais
Minha alma está ligada no seu coração
Não havendo necessidade, assim, de outros avais

Nesses versos simples, mas complexos,
As vezes por olhares convexos.
Podem parecer uma simples bobagem,
Mas para mim, é um gesto de muita coragem.

                                           Por Lucas Souza

3 de dezembro de 2016

Que falta você faz!

Fonte da imagem:https://apenas1.wordpress.com/2013/10/07/a-presenca-da-ausencia-2/

(Adroaldo Barbosa Jr.)


Hoje,
lembrei-me de você
logo ao acordar.
Se perguntar
nem vou saber
há quanto tempo
não te via.
Pra ser honesto
Quanto tempo
nem pensava em você...
Quanto tempo!
Acontece,
Coisas da vida.
Esquecer
faz parte,
a gente esquece!
Mas,
Hoje...
hoje eu me lembrei
de você.
Lembrei
de detalhes
que nem eu mesmo sabia.
Algo em você
me marcou de um jeito
que eu
não sei explicar direito...
seu olhar,
seu sorriso,
seu jeito de andar,
sua voz,
seu cheiro,
sua presença...
sua simples presença...


quanto tempo
nem pensava
em você?
Não sei,
sei que foi pouco
o tempo que passei
com você!
Foi pouco!
Que falta faz
lembrar de você
quando achava
que
não faria falta...


Que falta você faz!
Que falta você faz!

27 de novembro de 2016

Tempo

                                                                                               Marli D. Fiorentin

20 de novembro de 2016