21 de abril de 2014

Poesia Visual 1

By Marli Fiorentin

5 comentários:

Moacir Willmondes disse...

Saudade de todas as formas, sensação que invade os olhos, os pensamentos e o coração.

Ficou lindo o poema.

Um abraço e ótima semana, Marli!

Samuel Ivani disse...

Haveria alguém capaz de contar o tempo dos amantes,
Se o tempo é sempre relativo à distância de quem se ama?
Pois pra quem ama o tempo é sempre uma desordem;
Tem aquela soma do tempo do reencontro com a despedida,
Antes mesmo de confirmado a chegada.
Tem aquela saudade do futuro,
Antes mesmo de confirmado a partida.
Tem aquela divisão do tempo, relativamente;
Quando distância de passos se tornam infinitos,
E quando horas de abraços, não se equivale á segundos. http://letraseopiniao.blogspot.com.br/

Marli Fiorentin disse...

Moacir, saudade só quem ama sabe como dói.

Marli Fiorentin disse...

Samuel, amei teu poema. Visitei o blog e me identifiquei. Te espero por aqui sempre.

Samuel Ivani disse...

Obrigado! Sempre visito