22 de junho de 2014

Pedaços de Meu Ser



Tenta entender
Não é nada demais
Um pouco de mim

Complexo
Paralelo
Desconexo

Fases; são muitas
Um pouco de mim
Confusão sem fim

Natural, afinal
Creio que faz parte
Se não fizer
Se já for tarde...

Me resta aproveitar
Cada devaneio
Em seu lugar

Se achares feio
Mostra-me teu dedo no meio
E vá passear

Pois sou assim
Não tenho vergonha de mim
Minto.
Às vezes, sim

Um pouco de mim
É o que te mostro
Um lado novo
O qual eu também desconheço

Confesso
Perplexo

Infelizmente
Não sei se vai continuar
Nem quanto vai durar
Mas vou aproveitar

Pois é isso que vale a pena
A cada cena, a cada ato, a cada capítulo
Dessa loucura
Chamada Vida
Pedaços de meu ser

 João Pedro B Prado

facebook: www.facebook.com/joaopedro.prado
twitter:  www.twitter.com/jaopedrop
instagram: @joaopedro_prado 

7 comentários:

Will disse...

Belíssimo mosaico poético, Marli.

Abraço!

Marli Fiorentin disse...

Também achei. É do João Pedro.

Luís Eduardo G. Costa disse...

Basicamente essa poesia mostra a complexidade do ser humano, de cada um, e somente cada ser entende um pouco dessa complexidade.

Luís Eduardo G. Costa disse...

http://sorrisosefemeros.blogspot.com.br/

Bibiana Silva disse...

Muito bom, reflexivo. Como deve ser!

http://silvabibiana.blogspot.com.br/

Eliana Rodrigues disse...

Verdade!Luís Eduardo G.Costa.
Observar o que se passa dentro de nós mesmos e exprimir é muito complicado e difícil,mas compensador principalmente para quem lê depois maravilhas como essa!
Parabéns ao autor, lindo poema!

Marli Fiorentin disse...

Queridas!
Me alegro com a visita de vocês. Poesia é uma conversa com o nosso eu interior. Abraços!