22 de maio de 2016

Máscara Social





Pelas retas linhas
faz o velho caminho torto
aquele que está bêbado de si

Mas por suas entranhas
grita o desgosto
do encontro do homem com si

Pois como, ó loucura, demonstras
a verdadeira face do homem morto,
quero me encontrar a ti 

Já que rápido definhas
se apresenta logo a este desgosto
antes que pelas muitas curvas ele se perca de ti

Mitgipkvsky Saktikós




9 comentários:

Fabricio disse...

Bom dia, achei um lindo poema, mas queria tirar uma dúvida. Em "Encontrar a ti" e "ele se perca de ti" esta se referindo a deus ou ainda estava falando do próprio homem?

Jonatas Carlos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jonatas Carlos disse...

Então, Fabrício. Eu estava falando da loucura, sim, da loucura. Acredito que a loucura é um estágio onde o homem vira o homem. Abandona alguns (ou todos) padrões éticos e vira o animal-homem.

Então, o velho caminho que o homem bêbado faz, já está batido. Mas por uma reflexão, o encontro do homem consigo mostra a desgraça que ele é, uma máscara. Logo, ele procura uma certa loucura para que ele possa deixar de ser essa máscara e torne a ser ele mesmo.

(bem, essa é a minha interpretação rs)

=D

Fabricio disse...

Entendo, minha interpretação foi diferente, mas não deixa de fazer com que seu poema seja lindo, pelo contrário, da forma que interpretei, eu o achei! belo talento, parabéns.

Bruna Longobucco disse...

Gostei, saudações!

Jonatas Carlos disse...

Ah, claro. Isso que é legal da arte, ela fala com cada pessoa de forma específica =D

Eu estou fazendo um blog onde estou colocando os meus poemas publicados: pelafrestadaporta.blogspot.com

Lucian Rufo disse...

Olá! Faço poemas e contos. Nesse vídeo eu declamo o meu poema SOLIDÃO.
Agradeço se divulgarem pra mim! Obrigado!
https://youtu.be/RSEFFz1pQ8Y

SOLIDÃO (Lucian Rufo Barbosa)

De longe chega…
Medo trêmulo me impulsa.
Chega na escuridão,
A solidão me usa.

Meu interior
Frio traduz.
Traz-me a lágrima,
Divide-me a luz.

Amarga visão do tempo!
Me atormento. Sólido,
Não me contento.
A solidão atenta
E tenta
Disfarçar meus momentos.

Folha em negra cor.
Vazio universo
Sem versos!
Vazio mar sem fundo!
Buraco grande, profundo.
Fundo,
Fundo,
Fundo,
Fundo,
Fundo...

Lucian Rufo disse...

Olá! Faço poemas e contos. Nesse vídeo eu declamo o meu poema SOLIDÃO.
Agradeço se divulgarem pra mim! Obrigado!
https://youtu.be/RSEFFz1pQ8Y

SOLIDÃO (Lucian Rufo Barbosa)

De longe chega…
Medo trêmulo me impulsa.
Chega na escuridão,
A solidão me usa.

Meu interior
Frio traduz.
Traz-me a lágrima,
Divide-me a luz.

Amarga visão do tempo!
Me atormento. Sólido,
Não me contento.
A solidão atenta
E tenta
Disfarçar meus momentos.

Folha em negra cor.
Vazio universo
Sem versos!
Vazio mar sem fundo!
Buraco grande, profundo.
Fundo,
Fundo,
Fundo,
Fundo,
Fundo...

Anônimo disse...

muito bom sua poesia.
tenho um canal de poesia se chama meu diario em poesia vem da uma olhada.
amei seu blog voltarei mais vezes sempre ..