9 de julho de 2016

PARA ESCREVER UM POEMA


(Viviane Barroso)

Para escrever um poema
É preciso beijar as pálpebras do imprevisto.
Tocar as mãos do inverso.
Sacudir os galhos da árvore
Que guarda os mistérios do mundo
E dela não ver cair nenhum fruto.
Para escrever um poema
É preciso estar mudo.
Mesmo querendo quebrar
As vidraças do céu da boca.
Mesmo querendo romper
As camadas ocas da terra
Com um rio de salivas histéricas.
Para escrever um poema
É preciso estar torto.
É preciso estar morto:
Corpo de homem
Em alma de boto.
Estar pedra.
Estar pouco.
Voltar ao ventre do Tempo
Para num dia esquecido
Ser pássaro saído do ovo.
Para escrever um poema
É preciso beber um poeta:
Sempre líquido.
Sempre invisível
Sempre precipício.

21 comentários:

Luiza Cantanhêde disse...

Poesia em alto estilo! Parabéns😘

Dom Jorge disse...

A poesia de Viviane Barroso é um achado precioso! Parabéns pelo belo trabalho!

Oliveira Tatti disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Oliveira Tatti disse...

lindo poema,composição perfeita!

Fabricio Cruz disse...

Amei, lindo poema. Descreve bem a alma de um poeta. Irei compartilha-lo na minha faz page.

semgroselhapicuinha disse...

Vislumbrante.

Nilma Costa disse...

Nossa. Lindo!!

Nilma Costa disse...

Nossa. Lindo!!

Nilma Costa disse...

Nossa. Lindo!!

Nilma Costa disse...

Nossa. Lindo!!

Leonardo disse...

Muito lindo esse poema, expressa o que vivemos! A pura e simples vontade de escrever! Parabéns!

Leonardo disse...

Muito lindo esse poema, expressa o que vivemos! A pura e simples vontade de escrever! Parabéns!

Guilherme Kuhnen disse...

Belíssimo.

Guilherme Kuhnen disse...

Belíssimo.

Yago Gomes disse...

Fascinante! Parabéns.

Geovana Lira disse...

Muito Lindo essa poema e profundo! Amei o blog.
Comecei agora um de poesia.. quem puder passar por lá
omundocompoesia.blogspot.com.br
não sou tão boa ainda, mas tento fazer o que posso.

Anônimo disse...

Lindo poema!Metáforas muito bem construídas.Parabéns

VIVIANE BARROSO disse...

Muito obrigada a todos que dispuseram-se a doar-me o carinho de seus comentários... Fico muito feliz... Beijos imensos!

Anônimo disse...

Revejo-me em ti deliberando,
O que pelos meus olhos vejo mais à frente,
Sente algo, o que a alma está cantando,
Sem rumo a passado ou presente.

Desligo a forma do meu ser
E recrio uma paisagem distante,
Que de longe começa a crescer,
Mas aos meus olhos é diferente.

Está morta...
Já não consegue viver,
E mesmo com tanta força, valente!
Está doente e vai morrer.

Assim eu deito-me e me desligo,
Na minha solidão descabida,
Porque mesmo no vazio não me encontro,
Sozinho no silêncio da vida.

Pensamentos soltos e tristes

Adorei os seus poemas! E que acha do meu?

tunga Gonçalves disse...

Metaliguistico. Gostei muito. E deixo de imediato meu blog pra se quiseres consultar outros estilos poéticos.
abelgoncalvespoeta.blogspot.com

Anônimo disse...

Obrigado, irei começar a visitar o blog em busca de algo novo e fascinante :)