28 de janeiro de 2014

Poesia da Rafaela

Revirei-me por inteiro, no fundo desejava me descobrir.
Quem era? Onde estaria o “eu” que tanto procurava?
Meu reflexo não bastava.
Queria encontrar-me comigo. Desvendar o que fora escondido.
Não quero ser só eu que me amava.
Não quero ser só o que vejo.
Sei que tenho aqui comigo, um abrigo.
Estas roupas velhas que visto não passam de cortinas fechadas.
Onde estaria aquele véu de seda?
Ah, aquele sim me fortalece.
Nasci para isso.
Não sou feita de remendos.
Seja lá quem eu descobrir que sou.
Sou esta aqui, só não serei a mesma.
Se me viu hoje, talvez amanhã não me veja mais.

Encontrar-me? É difícil. 

Poesia enviada por Rafaela Pezzopane que se descreve assim: Meu nome é Rafaela Pezzopane, tenho 15 anos. Desde que aprendi a escrever me considero  viva, viva no sentido de poder transpor sentimentos para o papel. Amo escrever e observar o meu redor, porque nele é que está as coisas mais belas, apreciá-las é uma forma de me inspirar. Escrever é uma forma de viver. Amar é sobreviver. Este é meu lema. Tenho sonhos, para também me sentir viva, um deles é me formar em Letras, e jamais parar de escrever. Criei meu  blog para expor alguns dos textos que escrevi, e isso já está virando paixão. Visitem!

4 comentários:

Rafaela Pezzopane disse...

Obrigadaaa querida Marli por divulgar minhas escritas! !!!!!!!!

Marli Fiorentin disse...

É um prazer Rafaela. O objetivo desse blog é estimular a escrita, em especial da poesia, e socializar. Beijo!

coruja da noite disse...

eu tambem gosto de escrever e tranpor meus sentimentos gostaria de tambem ter um dos meus poemas publicados e que, se pudesse, divulgasse meu blog pois tambem como poeta adoro expor meus sentimentos aos outros ai vai meu poema

A despedia
memórias, tenho medo delas
pois estas, lembra-me de um dia feliz
dia este,que morreu
quando o amor nos esqueceu

pq tua tristeza é tão institente?
se tua dor já passou?
só alguma coisa de mim, essa amargura tirou
e nós perdemos o amor calhente

pq n posso entender
o motivo de se importar
com o temeroso adeus
se esqueceu de me amar
como eu amo vc

a tristeza é eterna
quanto o cosmo que espera
o caminho dos teus braços
a irrelevancia do teu sorrizo
ah,quem me dera voltar no tempo
para ter vc comigo

amor pq nos abandonou
o copido esqueceu que nos flexou
e as memórias?
foi tudo o que nos restou...

coruja da noite disse...

http://fenixacendente.blogspot.com.br/