1 de junho de 2014

Madrugada




"A madrugada com suas mãos pesadas, vai acertando os ponteiros do relógio. 
Como um velho pescador cansado, jogo minha rede de pegar sonhos. Mas nem o sono, fininho e arisco, se prende nela. 
Escuto as palavras gritando por seus lugares, mas o papel as recebe com rejeição... 
E indiferente à confusão, o sol, metido e cheio de razões, vai esticando seus raios, espreguiçando-se no céu escuro... até se abrir em risos ao ver fingindo que acorda aquele que nem dormiu."




Poema enviado por Antonieli Matos

piccolapoesia.blogspot.com

5 comentários:

ISABEL PORTO disse...

Estou muito feliz por acompanhar o desabrochar desta jovem poetisa! Parabéns Antonieli!

Antonieli Matos Machado da Silva disse...

Muito obrigada, tia Isabel! Tenho um enorme carinho por ti!

Tania Rabuske disse...

Adorei minha muito linda poetisa. Parabéns.

Gustavo Pandoliz disse...

Muito legal, parabéns à você e para a criadora desse blog que permite essa interação enriquecedora! Quem quiser conhecer minha humilde contribuição, aqui está ^^: http://gustavopanda.blogspot.com.br/2014/05/acusado-de-ser-humano.html

Antonieli Matos Machado da Silva disse...

Obrigada, Tânia! Te amo! E obrigada, Gustavo!