16 de março de 2015

POESIA



Ela energiza, fortifica
e sedimenta o ego, superego.
Faz-me sujeito,
inquietante, livre
voando com o dom divino,
que me foi doado!

No ritmo cadente,ardente.
Viajo, descubro as coisas.
Quimera, austera,
que fossem os normais!

É a poesia, os sons, os significantes,
que me deram muito, pois passeio
pelo "eu" irreverente,
porém necessário a expressar o quê,
os ditos normais, não conseguem!

Há a distância no poeta,
que mesmo sendo-a corporizada socialmente,
ela é diferente do ser humano.
Porém, condicionante a mostrar
a verdade.

É a aura, que brota, mexe, sacode.
Assim, sobrenatural,
do nada, mas faz uma diferença grande,
por quem é tocada!

Logo, uma graça, uma emoção,
algo assim, forte, quente,
que mexe muito
com o íntimo de quem sente!

Manoel Guilherme de Freitas.professor,MS. Formador/Pesquisador /poeta.

5 comentários:

Isildinha antunes disse...

visitando seu blog e amei já estou curtindo dê uma passadinha no meu
http://amoreluz10.blogspot.com.br/ abraço..

Isildinha antunes disse...

visitando seu blog e amei já estou curtindo dê uma passadinha no meu
http://amoreluz10.blogspot.com.br/ abraço..

Andressa Oliveira disse...

Olá! Parabéns pelo blog! Arte é tudo de bom! Estou começando uma página com amigos sobre arte de autoria própria, poderia conferir? https://www.facebook.com/pages/Uma-dose-de-arte-por-favor/1577149665859238
Beijocas!

Marli Fiorentin disse...

Obrigada, meninas! Voltemsempre que quiserem . Serão bem-vindas!

Literalmente vossa disse...

Marli, adoro o ritmo dos poemas!
"expressar o que os ditos normais não conseguem!" ora aí está um sentimento que descobri que todos os poetas partilham ;)
aproveito para partilhar também o meu blog de poesia: http://passeiospeloamanha.blogspot.pt/
será sempre bem vinda! :)