29 de maio de 2015

A Guerra



Numa noite escura de Inverno,

Numa noite em que à Terra desceu o Inferno,

E à luz dos raios e ao som dos trovões,

Estremecem os mais bravos corações.


Uma criança encolhida por entre os cobertores,

Cheia de medo e temores,

Rezava a Deus para que a nuvens negras de fumo,

Tomassem outro rumo.


Mas que ao partirem, deixassem a porta aberta,

Para que de uma parte incerta,

A esperança e a vida pudessem de novo retornar,

E o céu, num novo esplendor se iluminar.



Lisboa, 21 de Maio de 2015.

José Baptista

4 comentários:

Verânia Aguiar disse...

Bom dia, gostei de passar aqui, Ja sao poucos os blogs de poesia atualizados, obrigado por manter ainda o seu.
Convida a visitar o meu tbm, obrigada.

Pétala Monteiro disse...

Olá! Amei seu Blog, muito lindo. Depois, dá uma passada e veja minhas poesias. Rs. Beijos. www.amoreternador.blogspot.com

Elson Cade disse...

Mundo Poesía es un portal de poemas donde usuarios publican sus poesías. Contamos con foros de poesía, Chat de poetas, recursos literarios y concursos. aquí están algunas opción disponible Poemas, poemas de amor, poesia, Poemas en Espa

Sigo Estrelas disse...

Muito lindo.