17 de novembro de 2015

PROFISSÃO


Desse modo vos amo  carne
pele  rosa   sábios lábios (grandes e
pequenos)  grãos  gramíneas
mucosa  boneca de ruivo sol no
tufo de cabelos  e selos sem mais
zelos. Desse modo dessa
forma vos amo  ama  mama
submersa na cisterna eterna.
Vorazes ases que só consomem
o homem: penas e escamas
plenas  ferida exposta
no fulcro do arco-íris  porca parida
crosta. Folhas e filhos ao vento
 ao deus-dará  não dará  tegumento
de esdrúxulos moluscos  mucos
de vulvas ávidas  e valvas
de onde pulo sedento;  salvas
onde ejaculo para a boca
(troncha) das bruxas
terra  torrão cheio de inermes
garruchas  vermes  últimas
gretas e grutas;  a malacacheta
que estrelas aspergia
nas mãos  no mar  manias
do menino. Mais os
ácidos crustáceos: 
                                                o escarlate das cascas
por sobre a pura
tenrura. E às vezes fezes
sêmen  semente aberta  certa
goma do mênstruo  desatinos
pequeninos monstros.
Desse modo vos amo
metal e mal  e sino  e
cão amado  de ouro e
encantatório mimo  desse modo
dessa forma vos amo  vos conclamo
para além dos montes
e das pontes;  encharcado de sangue
 saliva e chuva  lama e urina  resina
dos restos rotos do lenho  álcool  suor
de amor e desamor  empenho: exangues
os tecidos decíduos  carregado
de algas  urtiga  larvas  formigas
infatigáveis;  dessa forma vos amo
vida mínima e máxima
nada e tudo
fala e mudez
sem vez
nesse veludo
da noite;  fada
e enfado;  de tudo e
nada.
                                            
                                                    (1.4.05)

Por Mauro Gama



2 comentários:

Lara Kuerten disse...

você escreve muito beem! Ameei

Passa lá no blog! Tem post novoo
XoXoXo
http://sonhandoacordadaofficial.blogspot.com.br/

Marli Fiorentin disse...

Amor é química, não é Mauro?