21 de novembro de 2015

Se pudesse



Se pudesse me escondia
Mantinha-me em silêncio
Mudava a rota da vida

Se pudesse voltaria
Com Drummond e Shakespeare conversaria
Numa roda de nobres trajes
A cada gole, sua imagem esqueceria

Se pudesse inalaria 
Cada ar que percorre 
Os bares das mais clássica boêmia

Se pudesse intimidaria-a
Teria a centímetros seu cheiro, seus gestos, suas cores
Aos quais eu não resistiria 

Se pudesse me envergonharia
Não sai da guitarra o som frenético
E das ondas do rádio as letras
Que a mim melhor combinaria

Se pudesse me transformaria 
No maior frio e calculista
Ao passar, nada teria a vista
Mas nesse momento minha alma morreria

Se pudesse fecharia 
E talvez nunca mais abriria 
O alimentador dos meus sonhos 
E das minhas fantasias

Se pudesse, poderia
Te esquecer 
Fazer parar de bater 
E não morrer.

4 comentários:

Lara Kuerten disse...

Amei o tema!
Muito bom texto!!!
Adorei!
Tem poesia nova la no blog!
Dá uma passadinha lá
http://sonhandoacordadaofficial.blogspot.com.br/

GGhost disse...

Belo texto :D Quem curte poesia da uma passada no meu blog aí ? poetizei.com

Bruna Cristina disse...

Respiro a utopia e acordo com os devaneios aos ouvidos e é quase impossível resistir o não imaginar e quando se coloca um basta ou um fim, nosso coração ♥ não mais sonhara e por fim nossas esperanças irá mas assim como o vento ele vai e volta e o que muda é sua força ou intensidade ou seja nós nunca paramos de sonhar sendo um mero sonho ou um pensamento utópico pois é o que criamos para apenas viver, interpreto dessa forma, é perfeito 👌 e criativo. "Se pudesse fecharia e talvez nunca mais abriria o alimentador dos meus sonhos e das minhas fantasias"

Saúde e Vida disse...

Adorei...
passe nessa página e olhe o meu poema http://sauevida.blogspot.com.br/2015/12/ansiedade-porque-me-consome.html?m=1