19 de janeiro de 2016

Férias


É preciso dar tempo ao tempo.
É preciso dar descanso ao corpo e paz para a alma.
É preciso dar silêncio aos nossos ouvidos sonoramente poluídos.
É preciso trégua nas batalhas interiores.
É preciso, às vezes, render - se ao nada, diante de tudo.


7 comentários:

Xúnior Matraga disse...

Às vezes é preciso não ser preciso!

Teus versos fazem a alma descansar, Marli!

'Há braços'

Mauricio Caldeira disse...

Realmente, o "não preciso", é preciso. Sendo a ausência de precisão, algo preciso também. Se render aos erros! Saber errar! Se deixar errar! Muito legal! Abraços

Marli Fiorentin disse...

Queridos, principalmente diante de tantas exigências do mundo contemporâneo, manter o equilíbrio não está fácil. Beijos!

Gabriel disse...

Precisamos precisar mais de nós mesmos.

Adorei o poema simples e sincero, vim aqui pela primeira vez e desejo voltar mais, abraço!

http://devaneios-irreais.blogspot.com.br/

Marli Fiorentin disse...

Obrigada, Gabriel. Estarei sempre esperando e me alegrando com tua visita.

Nayra Batista disse...

Parece ser o mais difícil nos dias de hoje... se permitir ter tempo para perder.

Gostei da leveza da sua poesia!

Marli Fiorentin disse...

Obrigada! É preciso dar férias para a alma.