10 de janeiro de 2016

lição



uma folha pousou no rio,
trazida pela força do vento!
e vi, nessa simples leitura,
um grandioso ensinamento:

eu vi, no rio, minha vida,
e no vento, o meu destino...
a folha, com certeza, era eu,
no meu tempo de menino!

Por Miguel de Souza

4 comentários:

Mauricio Caldeira disse...

Poema sensacional!
Sempre tive vontade de fazer um poema sobre algo na natureza, principalmente no olhar, o céu, entre as árvores. É algo que gosto muito de fazer. Ainda não veio a inspiração! Não sei se um dia virá! Se ver em uma folha, jogada na vida em natura, me faz lembrar de Saramago retratando sua infância. E tenho um gostar particular por Saramago. Considero o melhor escritor do Mundo! Mas é somente a minha, pequenina, opinião. Acho que essa semelhança do retratar da infância de Saramago com o seu poema, me fez gostar tanto! Parabéns pela criatividade, sensibilidade, e escrita!

Miguel de Souza disse...

Obrigado meu caro pelas palavras tão elogiosas ao meu poema. E sobre a inspiração... bem, os poemas acontecem naturalmente, não precisa ter pressa e nem forçar esse acontecimento. Com relação ao Saramago, é motivo de lisonjeio para mim, que meu inofensivo poema te faça lembrá-lo. Saramago certamente é dos melhores escritores do Mundo! Concordo. Ah, e agradeço também a querida Marli Fiorentin pela oportunidade de publicar o meu poema. Obrigado.

Léo Souza disse...

Muito bom !!

Vinii Marques disse...

Você pousou na vida, trazido pela força do destino, no seu tempo de menino! Incrível.
A força dessa simples metáfora impactou!! Muito bom!!