5 de novembro de 2016

CARTAS



Já estamos desgastados,
e saliva não resolverá
esperei um retrocesso,
areia na mão, escorrendo para o infinito azul

Pensei que voar era liberdade,
Voar é necessidade!
Cortei minhas asas, elas batiam para o inferno,
pra quê carma pior que este meu?

Já não me resta nada,
sou vazia como um poço fundo
mato a sede em lágrimas
de um adeus nunca dito,
mas sentido.

Tamanho é meu desgaste,
não tenho forças pra dizer: Até Logo!
A minha liberdade é não dizer.

               Por Veronisa

8 comentários:

Malik disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Malik disse...

Gosto. Muito.
Se alguém quiser espreitar: malikpoemaserabiscos.blogspot.com

Samuel Ivani disse...

Texto: Quando eu partir: https://www.youtube.com/watch?v=LmB8mesmmeg
Veja o vídeo e visite meu site nesse link: http://letraseopiniao.blogspot.com/ Se gostar das poesias, dá uma gostei

romario braga disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
romario braga disse...

Olá! Seu Blog é muito aconchegante e cheio de conteúdo de alta qualidade.
Convido a visitar meu humilde blog de poesias: romariopoesias.blogspot.com.br

Felippe Macedo disse...

Adorei.
Visitem meu blog:
http://colunadenomes.blogspot.com.br/

Sil Lisboa disse...

http://Poemasillisboa.blogspot.com

Robson Ramos disse...

Gostei!
Vieste meu bloger: https://robsonpensamentos.blogspot.com.br