23 de janeiro de 2019

A ilusão do tempo




Estás aqui e lá;
Lá e aqui.
Com olhos fechados,
viaje onde deseja e sem os grilhões do tempo.
Doce, ilusão!
A dimensão que precisa ser suprimida.
Doce, ilusão!
Tempo, não existe.
Do ponto A ao B
a vã matemática que não explica:
- Como atravessar o infinito?
-Tempo, senhor das almas?
Aniversariando sua existência com a morte...
Outra ilusão?
Embora pereça, átomos reinventam.
Recombinando outra existência?
Tempo que lhe dá a morte.
Morte que lhe dará o tempo.
A linha tênue entre o que aconteceu, acontecerá e acontece...

Antonio Archangelo
Visite o blog Poesias Nonsense

7 comentários:

Antonio Archangelo disse...

Obrigado pela divulgação!

E parabéns pelo trabalho!

Unknown disse...

Será! Tempo, Tempo, Tempo... Todo Tempo É Tempo de Será...
Muito Bom!
Um Grande Abraço!

asli erguven disse...

good post 😊 would you like to follow each other? if the answer is yes, please follow me on my blog & i'll follow you back. https://camdandusler.blogspot.com

Quarta-feira de cinzas disse...

Adorei, muito bom.

GUSTAVO REYMOND disse...

É o tempo...também tido como o 'deus de Guliver'assim que este desembarcou em Liliput com o seu relógio! Eu também tenho um blog de poesia e seria uma honra ter sua visita por lá! Uma boa tarde! https://gustavoreymond.blogspot.com

https://minhacasadapoesia.blogspot.com disse...

Amei muito bom!

Taki disse...

MUITO LEGAL! ADOREI!